piwiki

Secretarias e Órgãos

Telefones úteis



Redes Sociais

Página Inicial FAQ - Perguntas Frequentes
voltar imprimir
Aumentar texto Diminuir texto
Perguntas mais Frequentes PDF
  1. 1. Por que meu município não foi beneficiado com o Cinturão Digital? Que Critérios foram utilizados para instalação da fibra ótica nos municípios do Estado?

    O Cinturão Digital do Ceará-CDC é um projeto que objetiva universalizar o acesso à informação por meio da comunicação de dados e contribuir para a inclusão social dos cidadãos cearenses, por meio da implantação de infraestrutura de transporte de dados na velocidade de 10 Gbps, instalando fibra óptica no Estado (Capital e Interior), sistema de ampliação de sinal(DWDM) e da utilização da tecnologia Wimax que propaga o sinal de rádio para internet até 10Km. Os critérios utilizados para a instalação de fibra ótica foram municípios com população igual ou superior a 50.000 habitantes e municípios turísticos. Estima-se que as sedes dos municípios com população abaixo de 50.000 habitantes serão contempladas com esse serviço até o final de 2014.

    2. Quando as sedes de municípios menores serão atendidas?

    Estima-se que as sedes dos municípios com população abaixo de 50.000 habitantes serão contempladas com esse serviço até o final de 2014. Serão contempladas primeiro as mais populosas, as que possuem mais órgãos do governo e as que podem ser conectadas a custo reduzido.

  1. 3. Quem será beneficiado, neste momento, com o Cinturão Digital? Uma secretaria de uma prefeitura municipal do Estado pode interligar-se ao cinturão digital?

    Inicialmente a cobertura dos serviços do Cinturão Digital (CDC) ocorrerá para as unidades do governo do Estado, como escolas, delegacias, postos de saúde e hospitais, que se encontram na capital e nos demais municípios. Serviços públicos serão beneficiados com aplicações de telemedicina, educação a distância, monitoramento de cargas nas fronteiras, câmeras de vigilância, entre muitos outros. Encontra-se em estudos, a possibilidade de se contemplar as prefeituras municipais do Estado no cinturão digital.

  1. 4. De que forma a população cearense será beneficiada com o cinturão digital?

    Além de uma redução de custo no serviço de provimento de acesso em banda larga à internet, a população cearense será beneficiada indiretamente na performance dos alunos cearenses em exames, na redução do transporte de pacientes para centros hospitalares, na redução das taxas de homicídios (câmeras de monitoramento), na interiorização da atividade econômica, no atendimento imediato das necessidades de comunicação da Copa FIFA 2014 e, notadamente, na maior eficiência das ações de governo.

  1. 5. Unidades do governo com problemas de acesso e sinal ao Cinturão digital ?

    A Etice orientou todas as Unidades de órgãos públicos nos municípios, que receberam os rádios, em como proceder para resolver problemas de acesso ao Cinturão digital. Surgindo o problema, um técnico de informática presente na unidade deverá antecipar-se em identificar o erro, para depois, se for o caso, contatar diretamente com a Etice, através de chamado técnico pelo site ou telefone. No caso das escolas públicas estaduais, deverão contatar com a CREDE de sua região.

  1. 6. A Internet ficará mais barata?

    O Cinturão Digital (CDC) não leva internet gratuita para a casa das pessoas, mas sim, neste momento, disponibiliza conectividade de banda larga para os órgãos do governo prestarem seus serviços públicos nas áreas de saúde, educação e segurança.No futuro, a população cearense será beneficiada de uma redução de custo no serviço de provimento de acesso em banda larga à internet. O preço deverá ser bem inferior ao que se paga atualmente.

  1. 7. Como será a participação de empresas privadas e públicas na exploração do Cinturão Digital?

    Com relação a participação de empresas privadas e órgãos públicos na exploração do Cinturão Digital do Ceará, está prevista a realização de um leilão de fibra ótica, ainda este ano, para empresas provedoras de serviços. A Etice está elaborando o Edital com as especificações dos trechos de fibra a serem negociados. Três empresas terão a concessão para explorar o CDC. Poderão participar do leilão qualquer empresas que siga os regulamentos da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

  1. 8. Como responsável por uma unidade (escola, delegacia ou hospital) do governo do Estado, o que devo fazer para interligar-me ao cinturão digital?

Existem duas situações:

- Sua unidade já acessa a internet? Primeiro passo é verificar junto a Etice, se seu município está na relação dos contemplados com o Cinturão Digital. Se sim, você deve contatar com a área de informática do seu Órgão ou Secretaria do Estado para providenciar a estrutura necessária para conectar-se com o cinturão digital;

- Sua unidade ainda não tem acesso à internet? Primeiro passo é solicitar a seu Órgão estrutura para acesso a mesma. O segundo passo seria consultar a Etice se seu município estaria na relação dos contemplados com o Cinturão Digital, seguindo o procedimento acima.

  1. 9. Qual será o valor mensal a ser pago pela Secretaria do Estado?

    O valor mensal depende da quantidade mensal de bytes utilizados (download e upload) e do número de pontos atendidos. Esperem valores bem menores do que aqueles praticados pela operadora, com qualidade muitas vezes superior.

  1. 10. Alguns dos pontos da minha Secretaria Estadual podem ser conectados por fibra ótica?

    Sim. Os critérios de escolha das unidades do governo para conectar-se ao cinturão dependem do uso (projeto especial) e do custo. Por exemplo: a existência de fibra instalada nas imediações da unidade (escola, delegacia, postos de saúde, hospitais) ou impossibilidade de instalação de rádio são fatores que podem influenciar no critério de instalação da fibra.

  1. 11. Como será feita a manutenção do Cinturão Digital?

    A Etice está licitando o serviço especializado de manutenção. No momento, os eventos estão sendo atendidos pela Garantia, RP’s de manutenção e pela própria Etice.

  1. 12. Fibra é melhor do que rádio?

    Conexões por fibra são mais estáveis, mas são bem mais caras e demoradas do que o rádio. O rádio já fornece conexões de 5-7 Mbps full (o que corresponde a 30 Mbps se contratado com operadoras). Uma vez instalado, o rádio pode ser instalado e ativado em até 20 dias.

  1. 13. Como a Etice pode auxiliar a secretaria a adquirir equipamentos?

    A Etice indicará atas de RP válidas com equipamentos (Switches, no-breaks, rádios) compatíveis com nossas redes.

  1. 14. No caso de ser necessário conexão de longa distância (fibra ou rádio Ponto a Ponto - PPT) quem se encarregará da obra?

    No caso da conexão ser feita de fibra ótica, a Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará –Etice se encarregará dos projetos, aprovação do MAPP (Monitoramento e Acompanhamento de Projetos Prioritários) e acompanhamento da execução da obra; No caso de necessidade de instalação de rádio Ponto a Ponto (PPT), o próprio órgão, sob a orientação da Etice, ficará responsável pela aquisição e acompanhamento da instalação de seu rádio.


    TEXTO INFORMATIVO SOBRE CDC

    Sobre conexão à internet através de rede elétrica utilizando tecnologia PLC (Power Line Communication)

    Inicialmente, preferimos chamar de tecnologia Broadband over Power Lines (BPL) uma vez que PLC (Power Line Communication) é um termo mais amplo e que usualmente trata dos dispositivos utilizados dentro de uma residência (aquelas caixinha que ligamos na tomada para conectar via Ethernet um computador em outro quarto). Mas independente do nome todas se baseiam no mesmo principio, e por coerência com a pergunta iremos tratar simplesmente por PLC.

    A tecnologia PLC não é nova, existe a pelo menos 60 anos, porém as dificuldades relativas à ruídos e interferência foram resolvidas apenas nos últimos 10 anos. No entanto, mesmo tendo sido normatizada na Europa e EUAs, seu uso ainda não é amplamente aceito. Assim como há vários entusiastas também há muitos críticos.

    Resumindo podemos afirmar:

    1) A tecnologia PLC já está disponível e já tem um custo razoável. Apesar do custo dos equipamentos não ser tão baixo (na ordem de US$ 500 por ponto considerando o headend do provedor e o modem do usuário) o aproveitamento do meio de transmissão existente torna o investimento viável (não é necessário construir infraestrutura).

    2) O sinal PLC não "passa" por transformadores, então é necessário a colocação de vários repetidores ao longo da rede elétrica. Dentro da residência não é permitido usar no-breaks, estabilizadores ou qualquer dispositivo que contenha transformador. Não conheço equipamentos para redes de média tensão, portanto só existem equipamentos de baixa tensão utilizados para "última milha" de atendimento aos usuários.

    3) O alcance e as taxas de transmissão são limitados. Os catálogos dos fabricantes falam em 200 Mbps até 20 Km de distância, mas experiências práticas não atingem esse resultado. Uma experiência realizada pela CEEE (companhia elétrica do RS) em 2008 para testar a viabilidade em inclusão digital (em uma rede típica de bairros de baixa renda) demonstrou que somente foi alcançado 2 Mbps a uma distância máxima de 3,5 Km.

    4) O fio elétrico não é o melhor meio de transmissão. Os equipamentos PLC provocam interferências em radio analógico e sofre MUITA interferência de aparelhos eletrodomésticos como liquidificadores, secadores de cabelo e dimmer. Para resolver esses problemas é necessário instalar filtros na residência, encarecendo a instalação. Portanto a instalação precisa de um "ajuste e limpeza" da rede elétrica, não basta apenas "ligar na tomada".

    5) O uso de PLC somente se viabiliza com a disponibilidade da infraestrutura da rede elétrica. No entanto, no processo de privatização do sistema elétrico, toda a infraestrutura passou a ser propriedade da empresa de distribuição de energia. Assim, se a Etice quiser utilizar a rede elétrica no Ceará vai ser NECESSÁRIO "alugar" a rede da Coelce. Como os equipamentos ficam ligados a rede elétrica é necessário a autorização da Coelce para realização de qualquer intervenção técnica, dificultando a operação da rede.

    Concluindo, acreditamos que a tecnologia PLC é viável apenas para empresas distribuidoras de energia elétrica, proprietária da infraestrutura. Outro ponto é que, ao contrario do que se prega, a tecnologia PLC ainda carece de melhorias tecnológicas para se tornar amplamente usável.

    No caso do projeto Cinturão Digital acreditamos que a solução de rádio Wimax, que atualmente está sendo utilizada, é mais adequada. Apesar dos problemas de visada, temos conseguido atingir taxas de 6 Mbps a distâncias de 10 Km, sem depender de infraestrutura de outros. Outra experiência em avaliação é o uso de tecnologia FTTH para localidade mais densas onde o radio se mostra ineficiente (por exemplo, Fortaleza que tem muitos prédios que atrapalham o radio Wimax).

    A infraestrutura do Cinturão Digital do Ceará pertence ao Estado do Ceará. Ela foi construída exatamente por não haver infraestrutura de telecomunicação no interior do Estado. A tecnologia ótica não foi escolhida para atender os interesses para grandes empresas, mas por se tratar da tecnologia mais adequada para transmitir altas velocidades a longas distâncias. A tecnologia PLC não funciona em grandes distâncias, é uma tecnologia para acesso ("ultima milha").

    Respondido por Prof. Marcial Porto Fernandez, Assessor tecnológico da Etice e professor da Universidade Estadual do Ceara (UECE).


Responsável: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. - 3101-6630 - Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Última atualização em Ter, 15 de Julho de 2014 14:31
 

Estamos Conectados ao Cinturão Digital

Calendário - abril 2017

D 2a 3a 4a 5a 6a S
26 27 28 29 30 31 1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 1 2 3 4 5 6